sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Riscos de inundações na ilha do Pico

O Plano de Gestão de Riscos de Inundações da Região Autónoma dos Açores contempla, entre outros, os seguintes instrumentos: cartas de zonas inundáveis para áreas de risco, cartas de riscos de inundações e planos de gestão dos riscos de inundações.

Este Plano de Gestão identifica assim os riscos de inundações para todas as ilhas açorianas, sendo que no caso da ilha do Pico observam-se apenas dois tipos de zonas, as com risco baixo e as com risco moderado, ou seja, a ilha montanha não apresenta zonas com risco elevado de inundações (no final deste post apresenta-se o mapa das zonas identificadas na ilha do Pico).

As situações de inundação mais frequentes no arquipélago dos Açores são originadas, na sua maioria, por cheias rápidas, geralmente resultantes de episódios de precipitação muito intensa que, em alguns casos, foram devastadoras, especialmente quando ocorreram em áreas urbanizadas localizadas em leitos de cheia. As características físicas intrínsecas das bacias hidrográficas, geralmente de regime torrencial, de pequena dimensão e declive acentuado, e caracterizadas por um tempo de concentração reduzido, são aspetos que contribuem para agravar a perigosidade dos eventos [link para mais informações sobre o Plano de Gestão de Riscos de Inundações da RAA].

Haja saúde!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Prémio Internacional de Edifício do Ano vem para o Pico

O empreendimento de restauração Cella Bar foi distinguido internacionalmente como Edifício do Ano 2016 na categoria Hospitalidade.

Este prémio de arquitetura, o qual foi conhecido ontem [9 de fevereiro de 2016] e que é promovido pelo site ArchDaily, destaca assim este bar que se localiza na ilha do Pico e que tem andado nas bocas do mundo devido precisamente à sua arquitetura incrível.

Para ver mais fotos do Cella Bar basta clicar neste link, onde se pode comprovar como a arquitetura moderna também pode conviver em harmonia com a paisagem natural do Açores.

Haja saúde!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Da Caça à Baleia ao Whale Watching

Imitar os melhores exemplos mundiais é algo que muitas sociedades tendem a fazer. Melhor do que isso só mesmo quando nós somos o exemplo a seguir.

De seguida apresenta-se um pequeno documentário, feito por uma alemã, Doris Thomas, a qual pretende mostrar ao mundo como os Açores são um fantástico exemplo no que respeita à preservação da natureza e dos animais, mais concretamente no que se refere às baleias, e como as populações locais abraçaram a atividade do Whale Watching [link para exemplo desta atividade]. De salientar ainda o facto de no vídeo aparecerem inúmeras imagens da ilha do Pico, das águas circundantes e dos polos do Museu do Pico associados a esta temática: Museu da Indústria Baleeira (em São Roque do Pico) e Museu dos Baleeiros (nas Lajes do Pico) [link para mais informações sobre o Museu do Pico].

É sempre gratificante saber que quem nos visita aprecia e dá valor ao que se faz no arquipélago açoriano, mostrando ao mundo que nós somos o exemplo a seguir!

Haja saúde!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Vou ir

Entre as diversas curiosidades observadas por quem conversa com açorianos, sobretudo os continentais, prende-se com o facto de às vezes ouvirem a expressão "vou ir" e ficarem um pouco surpreendidos. Uns fazem uma careta e dizem que soa estranho, enquanto outros argumentam logo que esta expressão está completamente errada por ser um pleonasmo. Lançada a polémica, pode-se ou não recorrer à expressão "vou ir" sem ferir as regras da língua portuguesa?

Comecemos pelo início: qualquer língua é feita e evolui devido aos seus falantes e não devido a imposições forçadas; um exemplo dessa situação encontra-se descrito no post "Picuense, Piquense, Picoense ou Picaroto?", o qual mostra como normalmente se utiliza um gentílico relacionado com a ilha do Pico que não consta no dicionário. No entanto, as regras de uma língua são fundamentais para que nos entendamos e para que haja coerência no discurso, sendo que a riqueza de uma língua normalmente está associada ao seu diverso vocabulário e aos diferentes sotaques (a este propósito, recomenda-se a leitura do post "És dos Açores? Mas não tens sotaque!").

Voltando à expressão "vou ir", o site Ciberdúvidas (espaço de esclarecimento, informação, debate e promoção da língua portuguesa) já abordou este assunto no artigo "«Vou ir», outra vez" e apresentou a seguinte conclusão, a qual responde à questão levantada neste post: não há nenhuma regra, gramatical ou semântica, que explicitamente impeça a construção da expressão "vou ir"!

Haja saúde!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Agenda Cultural de São Roque do Pico - fevereiro 2016

A lista das mais diversas atividades que acontecem em São Roque do Pico, no mês de fevereiro de 2016, encontra-se disponível na Agenda Cultural de São Roque do Pico.

Para aceder a esta agenda clique na imagem seguinte (esta informação ficará sempre visível neste blog: à direita e em cima, na secção "ACONTECE POR AÍ").


No fim deste post apresentam-se, por ordem cronológica, alguns cartazes para os eventos que terão lugar neste mês de fevereiro.

Haja saúde!

[Nota: este post irá sendo atualizado à medida que forem surgindo mais cartazes, sendo também adicionados links para fotos/vídeos disponibilizados após os eventos (última atualização: 12 de fevereiro de 2016).]



Carnaval 2016 - Santa Casa da Misericórdia de São Roque do Pico:
Carnaval 2016 - Desfile da Escola Básica e Secundária de São Roque do Pico:

Carnaval 2016 - Matiné na sede da Filarmónica União Artista de São Roque do Pico:

Carnaval 2016 - Matiné na sede do Vitória Futebol Clube:

Mercado de Trocas e Baldrocas (Cais do Pico, 7 de fevereiro):

Visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à ilha do Pico (11 a 14 de fevereiro):














terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

FACA 2016 - Festa de Antropologia, Cinema e Arte

Integrado na Festa de Antropologia, Cinema e Arte deste ano (FACA 2016), a Biblioteca Municipal de São Roque do Pico apresenta, todas as sextas-feiras e sábados de 5 a 20 de fevereiro, filmes oriundos de vários países, de Portugal a Timor-Leste, passando pelo Brasil e Guiné-Bissau.

Um total de 18 filmes serão exibidos nas 6 sessões programadas, as quais têm início às 21 horas, com entrada livre (a programação encontra-se no final deste post).

As sessões estão organizadas tematicamente, tendo todas elas como denominador comum a utilização da imagem como uma ferramenta de construção do saber antropológico, assim como a utilização dos objectos da ciência antropológica na criação artística. Filmes que retratam pessoas, profissões e lugares, que nos apresentam situações sociais particulares de culturas distantes da nossa, que falam de religião e medicina tradicional, de devoção ao cantor Tony Carreira, da ocupação colonial portuguesa, do turismo enquanto factor de transformação social de uma cidade, de música tradicional e muito mais.

Haja saúde!


domingo, 31 de janeiro de 2016

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico - fevereiro 2016

A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de fevereiro dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na imagem para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que vão visitar o porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
01 de fevereiro (segunda-feira)Sete Cidades
04 de fevereiro (quinta-feira)Ponta do Sol
09 de fevereiro (terça-feira)Sete Cidades
17 de fevereiro (quarta-feira)Furnas
25 de fevereiro (quinta-feira)Sete Cidades

Previsão de entradas e saídas de navios - porto do Cais do Pico: Todas estas informações também se encontram disponíveis no separador "Barcos" deste blog.

Haja saúde!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

O "Sei lá!" da Linha Verde da Atlânticoline

Neste verão de 2016 que se avizinha, e devido às viagens de avião diretas entre Amesterdão e a ilha do Pico, provavelmente haverá um boom de turistas holandeses que visitarão a ilha montanha. A par desta situação, o cartaz deste ano do festival "Cais Agosto" promete também um boom na afluência de pessoas à ilha do Pico.

Tendo em atenção esta conjugação de fatores, o Sr. Boom (Jeroen van der Boom) lembrou-se então de dar umas dicas de viagem, em holandês, a quem visita o Pico e simultaneamente usa esta ilha como porta de entrada no Triângulo. Sendo o Sr. Boom um cantor, ele inspirou-se numa conhecida música de um dos cabeças de cartaz do festival "Cais Agosto" e o resultado final foi o tema "Sei lá!".

De seguida apresenta-se o vídeo das dicas de viagem do Sr. Boom, onde foram adicionadas legendas em português para que os leitores do blog "Cais do Pico" possam entender melhor a mensagem que está a ser transmitida.

Haja saúde!

[Nota: Sem querer revelar muito sobre o conteúdo desta "estória cantada", o autor inspirou-se em inúmeros cancelamentos de escalas e viagens da Linha Verde da Atlânticoline que ocorreram em circunstâncias difíceis de compreender para os passageiros {exemplo 1 | exemplo 2} - assim, o tema "Sei lá!" tenta responder à pergunta "E o barco vai passar?"...]

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Descoberta no Pico espécie extinta no século XV

O frango-d’água-do-pico (Rallus montivagorum), uma pequena ave que habitaria principalmente o solo, poderia ser encontrado na ilha do Pico há mais de 500 anos. No entanto, os ratos-pretos e os ratinhos que viajaram nas caravelas e nas naus portuguesas, e que chegaram à ilha montanha, terão provavelmente levado aquela espécie à extinção.

Esta é a conclusão de um artigo publicado agora na revista científica Zootaxa [link para o artigo], no qual uma equipa internacional estudou ossos encontrados nos arquipélagos dos Açores e da Madeira e que permitiram descrever cinco espécies de aves extintas presumivelmente no século XV. Como as diferenças entre estas cinco aves, parentes do frango-d’água atualmente existente em Portugal Continental, se devem às condições climáticas, físicas e alimentares da respetiva ilha onde habitavam, os investigadores sugerem que se Darwin tivesse chegado aos Açores 500 anos antes, talvez pudesse ter usado os parentes dos frangos-d'água para alimentar a sua teoria da evolução e de adaptação aos ambientes onde viviam.

As cinco espécies de aves extintas encontradas são (ilustração das mesmas no final deste post):
  • Rallus montivagorum do Pico é mais pequeno do que o do continente, é gracioso e pouco voador;
  • Rallus carvaoensis de São Miguel é de tamanho bastante pequeno (mais pequeno do que o do Pico), robusto, não voador e de bico algo curvado;
  • Rallus "minutus" de São Jorge é bastante pequeno, relativamente robusto, de pernas curtas e não voador (e cujo nome científico não é definitivo);
  • Rallus lowei da Madeira é uma espécie de corpo muito robusto e não voadora;
  • Rallus adolfocaesaris de Porto Santo é grácil e provavelmente pouco voador.

Esta descoberta mostra como, passo a passo, a paleontologia está a permitir a reconstituição da fauna natural que existia nos arquipélagos dos Açores e da Madeira.

[Fontes, as quais contêm mais informações sobre este assunto: link 1 | link 2 | link 3]

Haja saúde!

Ilustração das cinco novas espécies das ilhas: (da esquerda para a direita) Rallus carvaoensis (São Miguel), Rallus adolfocaesaris (Porto Santo), Rallus montivagorum (Pico), Rallus lowei (Madeira) e Rallus "minutus" (São Jorge).

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Concurso de Fotografia "Fotografando o Bremim da Montanha"

Encontra-se aberto o concurso de fotografia "Fotografando o Bremim da Montanha", o qual pretende dar visibilidade à sub-espécie endémica vegetal que só existe na cratera da montanha da ilha do Pico - Silene uniflora ssp cratericola, mais conhecida localmente como "Bremim da Montanha".

Neste concurso da MiratecArts, incentivado pela participação da foto "Silene", de Nuno Gonçalves (foto em anexo), no concurso internacional de fotografia "Flora e Fauna da Montanha", pretende-se que os fotógrafos locais, ou aqueles que visitem a montanha da ilha do Pico, tenham como desafio fotografar esta planta exclusiva do ponto mais alto de Portugal.

As condições de participação são:
  1. Trabalhos devem ser entregues até ao dia 30 de outubro de 2016, através do e-mail montanhapicofestival@gmail.com, contendo também informação de contacto do autor.
  2. Podem ser submetidas até 3 imagens por participante.

Os finalistas vão fazer parte de uma exposição e a fotografia vencedora será promovida internacionalmente, assim como respetivo fotógrafo também ganhará uma viagem de exposição até 3 ilhas dos Açores.

Mais informações podem ser encontradas em www.discoverazores.eu.

Haja saúde!